O Conselho Brasileiro da Raça Golden Retriever criou essas orientações gerais para criadores da raça, com base nas determinações contidas na Resolução número 2455 do Conselho Federal de Medicina Veterinária de São Paulo, além da experiência de diversos criadores de Golden Retriever.

Sugerimos a adoção dessas práticas por todos os criadores da raça Golden Retriever no Brasil.

Requisitos essenciais para a criação do Golden Retriever

Em primeiro lugar é importante entender quais são os requisitos essenciais para criação de cães da raça Golden Retriever. O conhecimento e entendimento dos 5 itens a seguir são fundamentais para que você possa ser um criador da raça.

  1. Segundo a normativa do CRMV/SP, cães e gatos podem ficar alojados em canis de criação e podem permanecer nesses locais por períodos variáveis ou até mesmo por toda sua vida reprodutiva;
  2. Todo canil deve ter um veterinário orientador ou, no mínimo, um veterinário como supervisor;
  3. Animais alojados são totalmente dependentes dos seres humanos para o provimento das condições que irão satisfazer suas necessidades básicas e promover sua saúde e seu bem-estar;
  4. O bem-estar animal compreende o atendimento às:
    A. Necessidades físicas: aquelas que interferem nas condições anatômicas e fisiológicas das espécies, tais como as necessidades nutricionais específicas, movimentos naturais e exercícios;
    B. Necessidades psicossociais dos cães, relacionadas às características da raça, expressas na manifestação de comportamentos naturais da raça, incluindo a formação hierárquica, interação dos cães em grupo, sendo necessário levar em conta a estimulação ambiental e social e o respeito à índole específica da raça Golden Retriever, que tem forte instinto de matilha e, portanto, seu manejo deve permitir o convívio habitual entre os cães do plantel;
    C. Necessidades de promoção e preservação da saúde, prevenção de doenças, controle parasitário e não exposição a doenças infectocontagiosas ou parasitárias;
    D.  O criador deve desenvolver a busca constante do melhoramento da raça na saúde, funcionalidade e adequação ao padrão, devendo para isso estudar profundamente o padrão para o desenvolvimento da sua capacidade crítica para seleção dos exemplares que serão destinados à reprodução.
  5. Cabe ao criador:
    A. Preservar a docilidade, ausência de agressividade para com pessoas ou animais, afetividade e sociabilidade, nível de atividade entre baixo e médio, submissão e forte instinto de matilha típicos da raça, jamais utilizando na reprodução exemplares excessivamente ativos, de comportamento instável ou de difícil controle, agressivos com pessoas ou outros animais ou com instinto territorialista exacerbado;
    B. O criador deve conhecer o padrão da raça para afastar da reprodução os exemplares cuja reprodução seja prejudicial ou mesmo inadequada para a manutenção das corretas qualidades físicas e comportamentais do Golden Retriever;
    C. O criador também deve afastar da reprodução os exemplares portadores de faltas desqualificantes (faltas inaceitáveis) ou graves, definidas no padrão;
    D. Todos os animais do canil devem estar microchipados, assim como todo e qualquer filhote a ser vendido ou doado;
    E. O afastamento do cão da reprodução deve implicar na sua castração, especialmente se for disponibilizado para adoção, sendo da responsabilidade do criador tomar as medidas necessárias para evitar a reprodução de cães em desacordo com o padrão.

Estrutura física adequada para criação do Golden Retriever

É muito importante considerar as necessidades de bem-estar dos cães do plantel, proporcionando a eles uma estrutura física adequada para seu desenvolvimento, socialização e saúde. Assim, sugerimos aqui as condições para uma estrutura física adequada para a criação da raça Golden Retriever.

Tamanho necessário por Golden Retriever

O tamanho dos espaços mínimos por animal determinados pelo CRMV/SP, para canis de criação com perfil profissional de aprimoramento ou de foco comercial está listado na tabela a seguir, já ajustado para o tamanho da raça Golden Retriever, que tem 35kgs como peso médio.

Peso do Cão (KG)Espaço mínimo por animal de Área Coberta (M2)Espaço mínimo por animal de Área de Solário (M2)Espaço Mínimo necessário por animal adicional no Solário (M2)Altura Mínima (M)
Golden Retriever (peso médio – 35kgs)4842
Canis Maternidade48Não deve ter animais extras, somente a mãe e filhotes.2
Recomendações do Conselho Regional de Medicina Veterinária de SP

O CRMV não estabelece padrões para criações que ocorrem em ambiente doméstico, como é o caso de alguns hobby breeders, porém sugerimos que os criadores que assim se enquadram consultem veterinário da sua criação, que deve aprovar as instalações, além de buscar seguir as orientações anteriores a respeito de espaço necessário para o bem-estar dos seus Golden Retrievers.

Esses são os tamanhos mínimos recomendados para as baias de permanência e solário dos cães, que podem ser sempre maiores que essas recomendações, mas nunca menores.

Estruturas recomendadas e suas características

Além das baias para permanência e pernoite, o canil deverá ter locais para soltura e exercícios dos cães, além de locais para manejo e permanência temporária (piquetes e/ou corredeiras). É indispensável que haja áreas cobertas para proteção dos cães contra sol e chuva.

Para a raça Golden Retriever é indispensável pisos firmes, estáveis e antiderrapantes, porém não muito abrasivos, e espaços grandes o suficiente para que possam se exercitar em ambientes que permitam a eficiente limpeza e tratamento sanitário para prevenção de parasitas.

A raça Golden Retriever possui natureza altamente sociável. Por isso, os cães devem conviver em grupos e também com pessoas, sendo o isolamento um fator de estresse psicológico e depressor do sistema imunológico. Isso é essencial para atender suas necessidades psicossociais.

Havendo a presença de áreas que possam ser usadas para recreação, como quintais e gramados, a metragem das mesmas pode ser adicionada àquelas designadas ao solário para atingir o total exigido.

Todos os ambientes devem possuir iluminação, ventilação e temperatura ambiente adequadas, de forma a manter os parâmetros fisiológicos indicadores de conforto.

As instalações do canil devem incluir espaço apropriado para banho e grooming e salas de depósito para que os vários estoques (rações, produtos de limpeza, entre outros) sejam acondicionados separadamente, mantendo condições adequadas de limpeza e higiene.

Controle sanitário das instalações

  1. As instalações do canil devem ser lavadas diariamente, com produtos seguros e bactericidas;
  2. Os cães devem permanecer em ambientes secos, limpos e de fácil higienização;
  3. Devem ser adotadas medidas permanentes para manter as instalações livres de animais da fauna sinantrópica nociva (aquela que interage de forma negativa com a população humana ou que representa riscos à saúde pública, tais como ratos, animais peçonhentos, moluscos, pombos, baratas, moscas, mosquitos, pulgas, carrapatos morcegos ou outros potencialmente transmissores de doenças);
  4. O canil deve contar com sistema de escoamento e drenagem das águas de lavagem em dutos direcionados para um sistema de eliminação de resíduos adequado, de modo a evitar o contato dos cães com as águas destinadas ao esgoto e a contaminação de mananciais e lençóis freáticos.

Saúde e Reprodução dos Golden Retrievers

Com toda certeza uma das maiores preocupações que se deve ter em qualquer criação é em relação à saúde dos cães envolvidos e gerados a partir dela. Nesse sentido, temos algumas recomendações extremamente importantes para os criadores de Golden Retriever.

Recomendações gerais de saúde

Os cuidados com a promoção e preservação da saúde dos cães devem seguir as orientações de médico veterinário responsável, inclusive no tocante a alimentação. Os protocolos de vermifugação e vacinação, exames preventivos e todos os protocolos relativos à promoção e preservação da saúde dos cães deverão ser estipulados pelo médico veterinário.

O canil deve realizar vermifugação e vacinação periódica, mantendo os devidos registros e controles dos cães atualizados. Procure sempre o Médico Veterinário, para que ele prescreva o esquema de vacinação mais indicado para seus animais, seguindo as vacinas obrigatórias e as opcionais. A vacina polivalente e anti-rábica são de obrigatoriedade anual e as demais como gripe, giárdia, leishmaniose, dirofilária etc, são obrigatórias para áreas endêmicas ou quando indicadas pelo veterinário.

Todos os animais adultos tanto machos como fêmeas, devem ser mantidos de maneira a evitar brigas ou acasalamentos indesejados.

Água limpa e fresca deve ser disponibilizada sempre à vontade.

Os cães devem ler banhados com regularidade, e mantidos limpos e sem nós. É imprescindível o cuidado com o pelo e tratamento de lesões de pele.

Recomendações gerais de reprodução de Goldens

Em nenhuma hipótese o criador poderá reproduzir cães portadores de sarna demodécica ou doenças congênitas de qualquer natureza.

O criador poderá utilizar vários modelos de acasalamentos no seu planejamento reprodutivo, considerando a perspectiva da consanguinidade, mas sempre com o objetivo de melhorar a qualidade da raça, reforçando pontos desejáveis ou buscando suprir a criação com determinadas características:

  • line-breeding: acasalamentos de parentes não diretos (tio/sobrinhos/netos/primos);
  • in-breeding: acasalamento de parentes diretos (pai/filhos, meio irmãos);
  • outcross: acasalamentos sem parentesco até a segunda geração;
  • irmãos inteiros: sob nenhuma hipótese deve-se cruzar irmãos inteiros.

As gestantes devem receber manejo diferenciado durante a gestação e lactação segundo protocolo fixado pelo responsável técnico, inclusive com relação a exames laboratoriais, de imagem e testes que o veterinário entender necessários para orientar o acompanhamento do parto.

Mães lactantes e suas ninhadas devem ser mantidas em maternidades, separadas do resto do plantel, isoladas e protegidas do acesso de terceiros ou de outros cães.

O canil somente pode utilizar na reprodução cães que tenham laudos atestando ausência de displasia coxomeforal (A ou B), feitos por profissionais ou clínicas especializadas, preferencialmente com laudos definitivos, ou seja, realizados após os 24 meses de idade. Os cães portadores de laudos de displasia coxofemoral “C” somente poderão ser acasalados com um exemplar com laudo de displasia coxofemoral “A”.

Quanto às idades e condições indicadas para reprodução é importante observar:

  • Idade mínima para cadelas: 18 meses, se portadora de laudo de displasia coxofemoral provisório “A” ou “B” ou laudo OFFA “Excellent”, “Good” ou “Fair”. Aos 24 meses deve ser feito o laudo definitivo;
  • Idade máxima para cadelas: 6 anos. Além dessa idade, e até no máximo os 8 anos, somente mediante a autorização expressa do veterinário responsável técnico;
  • Idade mínima para machos: 18 meses desde que tenha laudo de displasia coxofemoral provisório “A” ou “B” , laudo OFFA “Excellent”, “Good” ou “Fair”. A partir dos 24 meses o criador deve fazer o laudo definitivo;
  • Cadelas aposentadas da criação devem ser castradas.

A frequência das gestações deverá sempre seguir as orientações do veterinário, a quem caberá definir o tempo de intervalo entre uma gestação e outra de modo a evitar riscos à saúde das cadelas e garantir ninhadas saudáveis.

Cães portadores de displasia coxofemoral “D” e “E“, monorquidismo, criptorquidismo e/ou doenças congênitas de qualquer natureza que o veterinário indicar, deverão ser afastados da reprodução e castrados.

A entrega do filhote somente pode acontecer a partir de 60 (sessenta) dias da data do parto, vermifugados e com as doses da vacina polivalente atualizadas na data da entrega.

Política de vendas e resgate de Golden Retrievers

Considerando que você já esteja apto a criar, seguindo as sugestões anteriores, chega a hora de falar sobre política de vendas e de resgate de Golden Retrievers. Vamos lá?

Antes de realizar a venda o criador deve fazer uma análise da família para verificar a adequação do cão ao ambiente onde será introduzido. Caso o criador conclua que família e cão não são adequados um para o outro, deverá recusar a venda.

O criador deve conhecer a raça e prestar ao interessado todas as informações que ele solicitar, e inclusive estimular a visita ao canil, para permitir aos interessados verificarem o ambiente em que os cães vivem, tomando sempre as devidas cautelas sanitárias para ingresso de pessoas no canil.

A venda deverá ser feita mediante contrato escrito específico, adequado à legislação vigente, onde deverão constar todas as garantias e cuidados essenciais aos quais o comprador se obrigará a cumprir sob pena de rescisão do contrato e devolução do filhote. O contrato deverá ser acompanhado de orientações de manejo do filhote, cartela de vacinação e vermifugação, pedigree ou seu protocolo, certificado de microchipagem, garantias e obrigações do criador na hipótese de enfermidade pós-venda, informações sobre a raça, contatos de veterinários, adestradores e todas as informações que possam de alguma forma auxiliar a adaptação do cão à família.

Os contratos de venda dos filhotes para fins de companhia devem conter cláusula estabelecendo a obrigatoriedade do comprador pela castração futura do exemplar como política indispensável para evitar acasalamentos inadequados que podem desvirtuar a raça, ficando a entrega do pedigree subordinada à apresentação de declaração de veterinário quanto à castração do exemplar.

Todos os filhotes deverão ser entregues limpos, com tamanho e escore corporal adequados à idade, com as vacinas atualizadas na data da entrega, livres de ectoparasitas, microchipados e devem ser vistoriados pelo comprador no ato do recebimento.

Para abrigo temporário de cães resgatados ou para informar possível interessados em adoção: cães resgatados podem trazer consigo doenças transmissíveis e contaminar todo o plantel, especialmente filhotes. Muitos vírus perigosos se transmitem no ambiente. Nem todos os canis dispõem de instalações para quarentena. Porém, todos os criadores sérios, de qualquer raça, em princípio, vão tentar fazer o possível para ajudar no resgate de um cão da sua raça, desde que a segurança do plantel do canil seja preservada.

Existe muita procura para adoção de Golden Retrievers, de forma que não haverá dificuldades para se encontrar lares adotivos para os resgatados.

The following two tabs change content below.
Tahiana D'Egmont é criadora de Golden Retrievers por hobby desde 2009, no canil Golden Brand, e faz parte da Comissão de Criação do Conselho Brasileiro da Raça Golden Retriever.